Dancing With Tears In My Eyes

8 05 2011

Flyer Erotica Ke$ha

Sempre que o fim-de-semana se aproxima fico na expectativa por algum telefonema e convite dos amigos, pois os dias da semana são solitários e quase todo mundo está preso numa rotina.

No último sábado, dia 30, a Erotica Ke$ha no Teacher’s Pub era a festa indicada. Uma noite recheada de músicas da cantora de eletro pop.

Eu sou meio que um promoter no meu grupo de amigos e estou sempre tentando reunir todos. Não perdi tempo e perguntei-os sobre a programação do sábado e ninguém tinha planos de sair por um ou outro motivo.

Acabei por encontrar online um amigo que há muito tempo não via ou conversava e num bate-papo rápido decidimos ir à balada. Prestes a sair, um rapaz que conheci recentemente e já havia convidado pra sair algumas vezes sem sucesso, entrou no Messenger e foi automático “Vamos?”. E assim ficou combinado de lá nos encontrarmos.

Chegando ao Teacher’s fui pego de surpresa pela presença dos meus “amigos” que se explicaram de que foi combinado de última hora. Não pude me culpar por ficar chateado com todos eles por não estar na sua lista de convidados tendo todos como me contatar. Depois disso nenhum deles se dispôs a me interar no círculo.

Eu tinha companhia e não ia deixar isso se tornar um drama. Isso até meus convidados se conhecerem. Pronto! Minhas palavras eram como balas perdidas. Entravam por um ouvido e saiam pelo outro.

Depois de várias tentativas de fazer contato, concluí que haviam sido tomados por uma súbita atração, que minha língua nativa era mandarim e tinha ficado invisível. Afastei-me os observei de longe e me perguntei quando iam perceber que eu não estava mais em sua companhia.

Antes tarde do que nunca fui convidado a me juntar a eles. Mas eu ainda falava mandarim e enquanto eu me empenhava em um monólogo, ambos, sob controle de algum ser das trevas não ouviam uma palavra sequer e conversavam entusiasmados sobre os assuntos mais diversos.

Não tive escolha, me coloquei no meu lugar, sai despercebido e fui para pista onde engoli a seco as lágrimas que embaçavam minha visão enquanto dançava.

Dancing With Tears in My Eyes foi trilha sonora do filme de terror que foi a minha noite.

Ke$ha - Animal

……………………………………………………………………..

Dancing With Tears in My Eyes – Ke$ha

…………………………………………………

…………………………………………………

Se não bastasse me retirei às 6h30 da manhã sem nem ao menos um olhar de interesse das pessoas ao meu redor mesmo mantendo um sorriso no rosto.

Chorei litros de Monange aos soluços ao voltar para casa e peguei no sono desejando não ver mais a luz do dia.

O pior disso tudo? Isso acontece frequentemente.

Exatamente como me senti:

Anúncios




Festa Pe-gui-go-sa!

30 09 2010

Festa das minhas amigas pe-gui-go-sas!

Interessadas: contatofrederico@hotmail.com

;*





Cabaret Ilha Acústico

4 09 2010

Hoje estarei no Ilha na festa CABARET!

Segundo o BABADO CERTO vai estar super Gay Friendly.

Look that:

Beijos pras amigas!

UPDATE:

O  Ilha estava morno e não vi nada que o antimofo leva pra festa CABARET em outros lugares, como ouvi falar.

Gostei do som mais cru, muita coisa eu jamais pensei que poderia ouvir em uma balada.

Havia muita gente exótica no sentido bom da palavra, menos shrek do que em boate.

Havia mais LGBT do que HT que poderiam ter se libertado mais.

Ri pra sempre com TREPAX que se tivesse subido no palco de peruca e fizesse um bate cabelo eu não ficaria chocado.

Abraço!





BABADO ENCONTRO

25 07 2010

Ótimo fim-de-semana!

As mafiosas do BABADO CERTO marcaram o Babadoencontro com as amigays que batem cartão nos fóruns do blog que é babado.

Lá estávamos Bel, Euro, F., N., E. e eu, às 22h de sábado, a caminho do bar CHARGER no triângulo com F. dirigindo totalmente desorientado e sem senso de direção.

Inicialmente, por timidez, me senti meio deslocado.

A Max do BABADO, simpaticíssima, já alta (em suas palavras), tratou de tentar enturmar todo mundo, animada com os blogayros até então anônimos, mas, suspeitei de que não estava muito diferente de sua sobriedade.

Alguns baldes de cerveja. a bebida bateu e o babado começou. Depois de Max, mafiosa,  fazer escândalo para as amigays não se dispersarem, num minuto enfileirou 5 mesas no CHARGER e evaporou. Enquanto isso, um garçom hiper-desagradável deu a louka e deu esporro por juntar as mesas “sem a sua permissão”. UÓ!

Na INK LOUNGE, Bel, Euro, as amigays e eu nos divertimos muito, foi divoso. Mas, cá entre nós, estávamos nos sentindo no Alaska com aquele ar condicionado. Há muito que ser melhorado.

Todo mundo amou àquela suposta àrea de fumantes que é ótima. O DJ só errou em tocar um remix de Justin Biba com Baby, no mais, me manteve dançando a noite toda. Destaque para o piso levemente escorregadio que eu amei.

Fiquei às gargalhadas com Max sendo literalmente arrastada uns 10 metros por uma moça, incrivelmente forte pros seus 1,50 de altura, e acredito que louca na branquinha, porque queria que ele dançasse com ela uma música que aparentemente ela confundiu.

Dé foi muito carismático e… se quiser você conta, mas, como conversado hoje com meus mais novos amigos em um quiosque na Praia de Itaparica em meio a um jogo da verdade e uma cerveja e outra, dizem que a língua do Dé só é presa pra falar. Enfim… Babado, Confusão e Gritaria.

 

– visite o BABADO CERTO e comente o seu fim-de-semana no post Babado Confusão e Gritaria [3] – Babadoencontro.








%d blogueiros gostam disto: