Dancing With Tears In My Eyes

8 05 2011

Flyer Erotica Ke$ha

Sempre que o fim-de-semana se aproxima fico na expectativa por algum telefonema e convite dos amigos, pois os dias da semana são solitários e quase todo mundo está preso numa rotina.

No último sábado, dia 30, a Erotica Ke$ha no Teacher’s Pub era a festa indicada. Uma noite recheada de músicas da cantora de eletro pop.

Eu sou meio que um promoter no meu grupo de amigos e estou sempre tentando reunir todos. Não perdi tempo e perguntei-os sobre a programação do sábado e ninguém tinha planos de sair por um ou outro motivo.

Acabei por encontrar online um amigo que há muito tempo não via ou conversava e num bate-papo rápido decidimos ir à balada. Prestes a sair, um rapaz que conheci recentemente e já havia convidado pra sair algumas vezes sem sucesso, entrou no Messenger e foi automático “Vamos?”. E assim ficou combinado de lá nos encontrarmos.

Chegando ao Teacher’s fui pego de surpresa pela presença dos meus “amigos” que se explicaram de que foi combinado de última hora. Não pude me culpar por ficar chateado com todos eles por não estar na sua lista de convidados tendo todos como me contatar. Depois disso nenhum deles se dispôs a me interar no círculo.

Eu tinha companhia e não ia deixar isso se tornar um drama. Isso até meus convidados se conhecerem. Pronto! Minhas palavras eram como balas perdidas. Entravam por um ouvido e saiam pelo outro.

Depois de várias tentativas de fazer contato, concluí que haviam sido tomados por uma súbita atração, que minha língua nativa era mandarim e tinha ficado invisível. Afastei-me os observei de longe e me perguntei quando iam perceber que eu não estava mais em sua companhia.

Antes tarde do que nunca fui convidado a me juntar a eles. Mas eu ainda falava mandarim e enquanto eu me empenhava em um monólogo, ambos, sob controle de algum ser das trevas não ouviam uma palavra sequer e conversavam entusiasmados sobre os assuntos mais diversos.

Não tive escolha, me coloquei no meu lugar, sai despercebido e fui para pista onde engoli a seco as lágrimas que embaçavam minha visão enquanto dançava.

Dancing With Tears in My Eyes foi trilha sonora do filme de terror que foi a minha noite.

Ke$ha - Animal

……………………………………………………………………..

Dancing With Tears in My Eyes – Ke$ha

…………………………………………………

…………………………………………………

Se não bastasse me retirei às 6h30 da manhã sem nem ao menos um olhar de interesse das pessoas ao meu redor mesmo mantendo um sorriso no rosto.

Chorei litros de Monange aos soluços ao voltar para casa e peguei no sono desejando não ver mais a luz do dia.

O pior disso tudo? Isso acontece frequentemente.

Exatamente como me senti:

Anúncios




Supremo Tribunal Federal Reconhece União Homo-Afetiva!

5 05 2011

Dia 05 de maio de 2011. Dia histórico para a comunidade LGBT brasileira.

Vamos comemorar!

O STF reconheceu a união homo-afetiva como entidade familiar com os mesmos direitos e deveres.

Supremo Tribunal Federal Reconhece União Homo-Afetiva

Depois de um julgamento que durou dois dias a aprovação foi unânime e quem acompanhou se emocionou com as argumentações e discursos dos ministros.

Vamos aguardar por dados explícitos acerca da extensão desses direitos e comemorar esta abertura para um caminho frente a mais conquistas para todos as lésbicas,  gays, bissexuais, travestis e transexuais do Brasil!

Grande beijo ao BABADO CERTO que deixou todos nós com taquicardia nos atualizando desde ontem e causando no fórum do blog que é babado!

Eu sinto que esse fim-de-semana o assunto vai ferver nas rodas de amigos!

– Veja a notícia do STF clicando aqui.

UPDATE
:

Saiu no O Globo. Veja alguns dos direitos que os casais homossexuais podem ganhar com a decisão aqui.

– Dica do Diego via FACEBOOK.





► Quem não arrisca, não petisca!

30 11 2010

Gay LoveJá notou que é comum entre uma decepção e outra em relacionamentos, seja numa amizade ou em um namoro, ouvirmos das pessoas “Valorize-se!”? Sempre no sentido de não se entregar na relação.

Entretanto, por vezes dar valor a si também significa dar a você mesmo a chance de correr os riscos, de quebrar a cara e de amadurecer com isso.

Você só pode aprovar um relacionamento vivendo-o, mostrando como você se comporta nele, sem defesas demais e sem ataques.

Afinal, se não enfia o pé na jaca, se  não se entrega por inteiro, será que pode cobrar isso da outra parte?

Já ouviu a música Taking Chances da Celine Dion? Ouça e aprenda!

 

“Você não sabe do meu passado
E eu não tenho um futuro planejado
E talvez isso esteja indo rápido demais
E talvez não seja feito pra durar
Mas, o que você acha de correr riscos?”


Celine Dion Taking ChancesCeline Dion (Original Version)

Download

 

Lea Michele (Glee Cast Version)The Music Glee Season One Volume 1

Download





GUARAPARI

12 08 2010

Sábado, 31 de Julho. Malas Prontas, rumo a Guarapari.

Há doze anos passo a maior parte do tempo das férias e finais de semana por lá e não posso comparar nenhum dia com os últimos.

Ficar na praia o dia inteiro, pegar onda mal, me sentir incluído em meio aos meus três primos, todos eles bofes e verdadeiros amigos, ficar bronzeado temporariamente, passar noites acordados assistindo filme e rindo das coisas mais patéticas possíveis, sem contar os turistas que garantiam com um pouco de imaginação fantasia suficiente pra… Vocês sabem.

Há algum tempo essas viagens começaram a perder o gosto, todos nós crescemos e sob hormônios à flor, o foco mudou das amizades para as garotas. Difícil se sentir confortável em meio às conversas sobre sexo e às tentativas sem muito sucesso deles me amarrarem a essa, ou àquela guria.

E meus primos fazem até certo sucesso, e ao andar no calçadão e parar a todo momento para cumprimentar um ou outro conhecido eu ficava sem saber decidir por “apresente-me” ou “seja rápido, vamos continuar”.

Senti-me aliviado ao confirmar contar a eles que eu me sinto atraído por garotos, todos reagiram muito bem, com direito a abraços e muito bom-humor, o que também garantiu altos papos com minha tia, de mente muito aberta e com um amor incondicional que falta aos meus pais.

Não demorou muito e tive, mesmo que tarde, a idéia de procurar fazer as minhas amizades navegando. Tornaram as coisas melhores, conhecer algumas pessoas, ficar com outras, e até tive um namoro relâmpago no último carnaval com um rapaz, perdoe-me, muito imaturo.

Há mais ou menos um ano e meio, adicionei R. no Orkut que mantinha o “GUARAPARI” no seu perfil, mas, havia mudado para Ouro Preto – MG para estudar ECONOMIA na UFOP. Ele negou por um tempo que era gay, mas entregou seu irmão com um “não posso responder por ele” na primeira conversa.

No meio tempo desde a primeira prosa, as coisas ficaram claras sem muitas explicações e ele veio algumas vezes à Guarapari, sempre me convidando a conhecê-lo, mas sempre havia algum empecilho.

Então no domingo do dia 1º de agosto nos conhecemos em Guarapari, o que me prendeu por lá uns dias além do planejado.

Em resumo? Dia 20 estarei em Ouro Preto – MG.





BAD ROMANCE – PARTE I

11 07 2010

Hoje logay no meu orkut pessoal e o Sorte de Hoje dizia: “Se você quer ser amado, seja amável!”.

Uó.

Explica-me. O que é ser amável? Creio que entendi errado.

Mais uma vez, me desviei das minhas metas, deixei minhas vontades de lado, então, vou falar um pouco sobre algumas coisas antes de explicitar as últimas semanas.

No meu último namoro havia o seguinte: eu, assumido e bem resolvido e meu ex não, pelo menos da boca dele não era de conhecimento de ninguém, se me entendem.

Quando sozinhos, entre quatro paredes, tudo era sublime, o sexo era divinal e a sincronia perfeita. Ele tinha de tudo do que mais me atrai. Passivo, era menor do que eu e sua cabeça se encaixava confortavelmente no meu tórax. No dia que o conheci ele me disse ter 17 anos, acreditei cegamente até ele dizer que era mais velho que eu em seus 24 anos com rostinho de bebê.

Eu me sentia a Lady Gaga um BOFESKANDALO com ele nos meus braços e na cama em meio às faíscas eu dominava toda a situação, eu sabia o que estava fazendo e fazia maravilhosamente bem, nem ao menos sentia tentado a perguntar se tinha agradado como eu costumava, a resposta sempre estampada de forma clara no rosto de ambos.

Entretanto, tudo que vivíamos entre quatro paredes, do carinho ao sexo, só aumentava o abismo que eu sentia entre nós quando estávamos em qualquer outro lugar.

Eu me sentia sozinho, mesmo com ele do meu lado. Não havia demonstrações de afeto, sorrisos apaixonados ou abraços, regras ditadas por ele, que me repudia em qualquer tentativa, era frio e ainda conseguia me fazer culpado.

Ele tinha muito medo de ser descoberto,  e eu não me sentia confortável nos vários papéis que ele me dava pra cada conhecido. Acabava com minha auto-estima.

Já havia dividido com ele minhas expectativas e minha visão de fazer segredo de um relacionamento em termos paranóicos. Ví que me afastava do meu caminho.

No meu pensamento, àquilo que escondemos é de que temos vergonha, e definitivamente não tenho vergonha da minha opção.

A partir do momento que acredito estar num relacionamento firme, não há razão pra não vir à tona, e no mais, quando se apaixona fica perceptível uma hora ou outra, mesmo sem intenção, escondido tem de ser sexocasual àquele do qual não se tem interesse no desenvolvimento.

Não tínhamos onde nos encontrar sempre escondidos, então, tomei ele por conversa e disse que não estava me agradando a situação e assim foi por várias vezes.

Um dia, perguntei-lhe se sua opnião era para sempre e descobri que enquanto eu esperava por ele, chorava pela sua frieza que negava carinho nas duas vias, ele esperava pela minha desistência.

E então, em suas palavras ele preferia me deixar. E foi o que aconteceu, eu disse pra ficarmos sem nos ver por alguns dias, destes em que eu chorei muito e que se ele quisesse me ver me ligasse.

Resultado: após alguns dias, nenhum telefonema e nenhuma resposta ao som das minhas lágrimas no telefone.

CONTINUA….





– tchan tchan tchan tchaaaann

8 07 2010

 

Ontem conheci BelAmi e a la 5ª sinfonia de Bee-thoven, deixarei esta questão no suspense.





Untitled 1

4 07 2010

Sabe aquela sensação de loop de montanha russa… De quando sonhamos que caímos?

Você já amou um homem por quem chorou apenas por imaginar perdê-lo? De admirar a beleza do seu sorriso? Por se sentir presenteado?

Já ajoelhou aos pés de alguém para demonstrar o seu amor? Deu cafuné até que ele dormisse?

Disse “EU TE AMO” olhando dentro dos olhos, imaginando que nada parece ser suficiente para demonstrar a felicidade que você sente?

Já comprou alianças? Pensou em mandar flores?

Aceitou-se culpado e pediu desculpas, sem ter errado apenas para finalizar uma discussão?

Algum dia ficou parado ao lado do telefone esperando que ele tocasse? Ligou de madrugada por não conseguir dormir sem saber que tudo está certo, saber se ele está triste como você ou se ele realmente não quer te ligar?

Já sentiu vontade de beijar em público, um beijo de amor, apaixonado, pois nada mais importa do que a felicidade que você está sentindo?

Já morou/casou com àquele que acreditava ser o amor da sua vida?

Você desistiu de algo por quem ama, pois nada mais vale do que o que sente e o que existe entre vocês?

EU JÁ! 

Por que eu não posso receber isso de volta?

HOJE É DIA DE CHORAR.








%d blogueiros gostam disto: